Você contaria se desse um beijo num EX pro seu atual?

Sempre assisti Sex and the city com outros olhos. Ao contrário de ver como a mulher americana pode ser liberada e dona de si, eu a via justamente como ela pensa que é livre das convenções morais e no fundo, não é, ninguém é. No fundo, as personagens são todas frustradas, inclusive a Samantha, que só pensa em sexo pra não se prender a ninguém.

Mas eu sou eu e sei que muitas mulheres sempre gostaram da série, porque se enxergam nelas, tentando ser super mulher e mostrando toda a fragilidade, a busca de um amor, uma relação amorosa, filhos, segurança e claro, sexo do bom. A série acabou e vieram os filmes, afinal faltou no fim da série, o the end: como que Carrie poderia acabar sozinha depois de anos sendo subjugada/usada pelo Mr. big? Aí, correram e arrumaram um final feliz, cheio de armadilhas, muitos sapatos, um homem maravilhoso ( o ator maravilhoso galã lindão Chris Noth) que a deixa esperando no altar, mas que no fim, casa com ela no cívil e pronto, resolvida a questão.Imagina se ela não casa, a frustração da mulherada, não é?

Mas o segundo filme me prendeu é mais leve e sem compromisso; logo no início parece um Gaiola das Loucas para mulheres. Começa com o casamento gay do melhor amigo de Carrie ( o ótimo Willie Garson), onde delírios da mais alta estirpe são vistos todos reunidos, mas são muito divertidos. Eu ri muito com o coral gay que canta músicas antigas, o exagero da decoração, cisnes, pontes, muito espelho e brilho. Mas o sensacional é que o casamento é celebrado por um dos maiores ícones gays do EUA, a cantora Liza Minelli. Talvez a nova geração não conheça o seu t alento, mas ela foi uma das maiores artistas do show business americano, ganhadora de Oscar, filha da atriz Judy Garland, famosa pelo primeiro O Mágico de Oz.

Logo em seguida, me emocionei ao vê-la cantando e dançando, no alto dos seus 65 anos, a música Single Ladies da Beyonce, pôxa, foi muito legal! Ela está em ótima forma:

De resto, é filme de mulher mesmo, e pior, mulher fútil, mesmo com os problemas e conflitos típicos de mulheres como o pé no sofá, como os filhos pequenos enchem o saco e aquela coisa de carreira x fazer o que gosta. Clichês, todos com soluções plausíveis, reais.

Não aja por impulso: dorme que a vontade passa…

Muito sapato, muita roupa, muita futilidade. Mas eu preciso falar um importante recado do filme. Sobre o beijo equivocado que a Carrie dá em seu ex-namorado, que também é casado e sobre o arrependimento dela em ter dado esse beijo, mesmo que não levasse a mais nada. Ela fica desesperada e não quer esconder nada do marido. As amigas mandam ela esquecer, passou, errou, aprenda com o erro. Samantha dá o melhor conselho do filme: vai dormir, nada como uma noite de sono pra resolver os problemas.

Mas ela não dorme e liga de madrugada e conta o que houve. Quem vê o filme sabe os motivos que a levaram a dar o beijo e, no fundo, são infantis. As amigas avisaram: NÃO VAI. Mas o orgulho em se sentir desejada foi maior, coisa de gente imatura, que não percebe que a vida muda.

Resumindo, o Mr. Big ouve, desliga na cara dela e no final, eles acabam resolvendo, como adultos: ambos se perdoam e resolvem renovar seus votos, afinal, ele também a fez passar por uma das piores saias justas da história, a abandonando no casamento. Bom, quem assistiu ou for assistir, entenderá a situação.

Mas o meu recado é o mesmo das 3 amigas da Carrie:

NUNCA CONTE ISSO AO SEU PARCEIRO.

Se você fez a cagada, assuma sozinha e engula. Menos de 1% dos homens perdoariam o beijo e se separariam. Se você acha que todos os homens poderiam ouvir e ainda por cima te dar um anel de bilhantes, não se iludam, a maioria te daria um pé na bunda e te chamaria de vadia. Homens não suportam a idéia de que a mulher deles seja tocada ou desejada por outros (só em suas fantasias eróticas sórdidas). É a quebra de confiança que se esperava de um comprometimento.

Então, se você acha que um homem agiria como o sensato Mr. Big, saiba: ele também tem algum esqueleto no armário(tradução: segredos inconfessáveis).

Moral da história e que sirva para todos: PENSE MUITO BEM NO QUE VOCÊ FAZ PRA NÃO SE ARREPENDER DEPOIS. Não pense 2 vezes, pense muito, assim você se segura. Eu sei que muita gente vai dizer que não pode esconder nada num relacionamento amoroso, mas melhor do que esconder, é não fazer nada do que possa se arrepender depois.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to Top