A difícil missão de falar de sexo com seus filhos

Mesmo nos dias de hoje, em que o sexo é tão impropriamente liberado (falo de pornografia mesmo), mostrado a torto e a direito, este tema ainda é um assunto que gera constrangimento na maioria dos pais.

É engraçado, pois as últimas gerações lutaram tanto para conquistar esse momento íntimo de prazer, com tanta naturalidade e agora que são pais e mães, travam ao falar do assunto. Muitos agem como seus pais e avós, daquelas gerações em que até a palavra beijo era um escândalo. É que sexo ainda é tabu para muitos.

Por mais que tenhamos uma vida sexual mais tranqüila, quando o assunto é filhos, a proteção, o medo de que sofram, de que se decepcionem fala mais alto.

Mas o que esses pais não devem esquecer é que um dia eles estiveram no mesmo lugar e pediram por ajuda e orientação. E é esse o papel dos pais na vida de um filho, orientar para tudo na vida, não impor regras, mas explicar os prós e contras de tudo o que farão em relação ao sexo e aos relacionamentos. Nenhum pai ou mãe vai evitar que um filho sofra por uma decepção amorosa, mas ele deve estar ali, ao lado dele, e ajudá-lo a superar, ao invés de falar “eu te disse”, como muitos fazem.

Pais não precisam contar suas próprias experiências, mas podem sim, basear-se nelas. E nunca tratem o sexo ou as pessoas com desdém, pois seus filhos podem ser vítimas desse mesmo preconceito que muitos aplicam. Não adianta nada dizer que não pode fazer isso ou aquilo, pois não depende dos pais e sim, do que vai no íntimo de cada jovem. Agora, se você não se sente bem ao falar de sexo, oriente seu filho com algum livro apropriado para a idade dele ou um site específico, por exemplo, o SeR – Sexo e Relacionamentos, que tem uma linguagem clara e precisa.

Um dom momento para mostrar as diferenças do corpo é em pequenas brincadeiras em casa

Seu filho quer falar de sexo com você? Ótimo! Sinal de que tem confiança naquilo que você diz e você tem a obrigação de sentar e conversar de forma tranqüila, sem imposições, explicando como funciona o corpo, o porquê das modificações, porquê sofremos com paixões inalcançáveis. Seja natural, mas não caia na vulgaridade, nunca. Sexo não é vulgar, é algo íntimo, de cada um, que precisa ser respeitado.

Não tenha vergonha se não souber, aproveite e aprenda para viver essa fase de aprendizado junto ao seu filho.

Não quer namorado(a) em casa? Não deixe e explique seus motivos.

Não quer que chegue tarde em casa? Fale do seu sofrimento e do perigo.

Explique a necessidade urgente do preservativo nos dias de hoje, pra filhos e filhas. Chegamos ao ponto de termos de ser muito honestos em relação a todo tipo de doença que se pode pegar em relações sexuais, mesmo as que pareçam seguras. Fora o risco da gravidez precoce.

Como pai e mãe, imponham seus limites, mas sempre expliquem o porquê desses limites. Jovens querem abraçar o mundo e ir além, por isso é tão importante brecar certas atitudes, mas sempre com pé firme e com explicações plausíveis. Passamos da época do “porque sim, porque não” que ouvimos durante muito tempo. Para ser ouvido e respeitado, você precisa sim, explicar o que sente. Não adianta fingir que seu filho é criança ou que nem sabe do que está acontecendo. Filhos sem limites são fruto de pais medrosos ou superprotetores. Saiba usar o bom senso e se oriente, se for necessário, com ajuda de um terapeuta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to Top